Não guarde as coisas

É tentador cair na mentalidade minimalista, quando confrontamos com a meta de comprar nada. Pensando à frente para a mudança das estações, à unpeeling de camadas como o clima finalmente nos aquece e a luz do dia se prolonga um pouco mais a cada dia.

Não guarde as coisas apenas no caso de precisar algum dia.

Esperando e construindo um arsenal é ser derrotado pelo objeto. Está correndo para comprar coisas nas próximas semanas que teria comprado de qualquer maneira, seja em 2 semanas, um mês, ou 6 meses. É pendurado em que rede de segurança, a mesma que está tentando perder. A ponto de não comprar qualquer coisa não é para empinar tanto quanto possível antes de dia 01 de Janeiro. O ponto de um ano livre de consumir é para aprender, para crescer em nossas vidas, para ensinar nossas mentes para encontrar uma outra maneira.

Minimalismo não é privação. É expansão.

Passar o tempo tentando comprar roupas de verão em dezembro, apenas no caso de você não ter como comprar depois, como você acha que vai precisar em agosto é desnecessário. Saia da sua zona de conforto. Vista o que faz você se sentir bem, e nada mais. Deixe cada equipamento ser a sua melhor roupa. Modificar, compartilhar, emprestar, trocar. Nossa tendência é ter um excesso de roupas para o caso de precisão. Para nos dar escolha.

Escolha.

A escolha é uma palavra que os varejistas optam por usar. Eles nos vendem tops em todas as cores, e por isso temos escolha. Eles fabricam carros ano após ano, então nós temos uma escolha. Mas a única escolha que eles estão nos dando é escolher para comprar. Não importa o que nós consumimos, enquanto nós estamos sob a ilusão de que era a nossa escolha. Eles não se importam de que cor ou o estilo de jeans que temos. O que importa é que temos os jeans. E nós temos em vários estilos.

Sim, eu me preocupava com o que eu vestia. Eu me preocupava com a primavera, verão, outono. Fiquei preocupada com o ganho de peso e perda de peso. Eu me preocupava com lágrimas com os buracos e desbotamento. Fiquei preocupada com o calor, eu me preocupava com o frio, eu me preocupava com queimaduras solares e a sombra.

Confessei minha preocupação. E eu a deixei ir.

Consulte alguém.

Esteja ciente de que é normal querer guardar as coisas. Os seres humanos precisam de segurança. É da nossa natureza. E no nosso mundo ocidental, estamos nos certificando de que temos o suficiente, apenas no caso de precisar. É difícil remover essa muleta. Mas descobrir o que constitui verdadeiramente a necessidade é uma revelação. É libertador.
Imagine ter esse controle, não ter que gastar apenas para se sentir melhor, para sentir alguma coisa.

Imagine projetar sua felicidade. Imagine que a felicidade não impulsionada por bens materiais.

No próximo ano, a compra de nada, não é um ano de cortes. Não é uma luta. É uma viagem, uma oportunidade para ver o que mais está além do vazio do consumidor. E, para mim, é uma continuação de algo que começou há alguns anos e têm vindo a construir em desde então. Minimalismo deu certo comigo. Ele me ajudou a voltar a ajustar, para ter o tempo para projetar uma vida que eu posso verdadeiramente dizer eu te amo agora. Tudo começou com meu primeiro ano de comprar nada. E eu estou ansiosa para começar de novo, sem um estoque de roupas de verão, sem essa muleta me apoiando. Venha se juntar a mim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s